sábado, 3 de março de 2012

NO MEIO DO NADA...

Certa vez um homem indignado com as coisas que aconteciam ao seu redor, vendo tanta injustiça, pobreza, miséria, violência, observava tudo ao seu redor e lhe perguntava onde esta Deus? Se ele existe porque as coisas são assim, pessoas que sofrem, que perdem, que padecem, ouvi dizer que Deus é o criador de todas as coisas, é o dono de tudo, é o Senhor do universo, mas porque ele esta tão indiferente a tudo e a todos. Pessoas tentavam lhe convencer com as suas religiões, com suas experiencias, com as suas palavras, mas nada o fazia mudar em sua concepção.

Um dia indignado com tudo isso disse: SE NO MEIO DE TUDO E DE TODOS DEUS NÃO SE MANIFESTA MUITO MENOS IRA SE MANIFESTAR NO MEIO DO NADA... Pegou alguns dos seus pertences e partiu rumo ao incerto, caminhou por dias, semanas e meses, caminhou por tantos lugares da terra, dos mais ricos aos mais áridos, quando se deu conta estava em um lugar onde não havia vida, não havia pessoas, animais, flores, arvores, não havia nada, pegou o seu cantil para tomar água e este estava vazio, sem sequer uma gota, bradou em alta voz dizendo: DEUS EU SABIA, COMO HAVIA PREVISTO VOCÊ NÃO EXISTE, ACABOU DE PROVAR QUE NÃO EXISTE, NÃO EXISTE MESMO, VOU MORRER, MORRER DE SEDE, sentou sobre uma rocha, cansado, exausto, lagrimas, lembranças, um filme passava em sua mente das cenas que havia presenciado em toda a sua vida, e sussurrando disse; eu sabia que Deus não existe, pois se existisse pessoas não sofriam, pessoas não ficavam enfermas, pessoas não choravam, PESSOAS NÃO MORRIAM DE SEDE, VIU DE SEDE, AQUI NO MEIO DO NADA, COM CERTEZA NÃO HAVERÁ UM LUGAR PARA ALGUÉM COMO EU TOMAR UM POUCO DE ÁGUA, dizendo estas palavras com muita indignação e raiva, ainda disse se eu não fizer nada por mim ninguém ira fazer, levantou-se e continuou a sua jornada, subiu e desceu alguns montes, olhava ao seu redor e não via mais o sofrimento das pessoas, não ouvia nem barulho, nem choro, nem gemidos de dor, exausto sobre um sol escaldante debaixo de um céu azul, parou, pensou e gritou: EU ESTOU COM SEDE, COM MUITA SEDE, mas o que estou fazendo se Deus não existe, quem ira me ouvir neste fim de mundo, NO MEIO DO NADA, virou-se e um reflexo veio de encontro aos seus olhos, olhou novamente e colocando a sua mão para tentar enxergar, olhou fixamente e viu uma poça de água, entre alguns montes, disse não acredito o que estou vendo, ÁGUA, numa disparada desenfreada correu, correu de encontro a poça de água, chegando se jogou dentro, se refrescou, tomou água até doer a sua barriga, nadou, jogou água pra cima, pro lado, depois de se saciar se refrescar disse: QUEM FOI O ABENÇOADO QUE COLOCOU ESTA PISCINA DE ÁGUA NO MEIO DO NADA?

Postar um comentário