sexta-feira, 11 de maio de 2012

AVIVAMENTO X REAVIVAMENTO = PENTECOSTALISMO MORTO...



Onde esta a essência do cristianismo verdadeiroEstá em um avivamento onde os crentes se enchem de poder, e não fazem nada após receberem unção e virtude? Está em reuniões inflamadas por um alarido de línguas, onde estes se reúnem para falarem nada com coisa nenhuma? Está em retiros onde são ministradas palavras especificas e tantas outras coisas, mas a mudança é momentânea, quando não somente durante o período de estarem retirados? Está em seminários onde estratégias são traçadas e nunca colocadas em prática? Onde está o verdadeiro e genuíno CRISTIANISMOdeixado como exemplo por Cristo, os Apóstolos e a Igreja Primitiva?
                             

Nunca se falou tanto em avivamento como estão falando nos últimos anos, citam o avivamento da Rua Azusa (vídeo anexo, se tiver tempo assista), como uma das mais importantes manifestações do poder de Deus dos últimos cem anos após a manifestação do Espirito Santo no dia da festa de Pentecostes, muitos com certeza nem sabem direito o que aconteceu naquele lugar, os cristãos da época não se preocuparam em registrar o acontecido, não estavam interessados em lucrar com o movimento, eles não estavam querendo aparecer em cadeia internacional, de radio, televisão e DVD's, e nem muito menos se promover à custa do que Deus estava realizando no meio deles, suas razões eram outras, não estavam preocupados em si próprios e sim com o Reino, por esta razão que quando se fala do assunto muito pouco se sabe sobre aquele dia.

Teólogos tem se esforçado em pesquisar e em saber o que aconteceu na cidade de Los Angeles EUA nestes três anos de uma manifestação sobrenatural do poder de Deus na pessoa do Espírito Santo que explodiu em uma paixão imensurável por Jesus Cristo.

A interpretação para os crentes dos dias de hoje de uma forma em geral, para poder e unção do Espírito Santo é ser pentecostal, citam a passagem do livro de Atos 2: 1-4, que nos fala da manifestação do poder do Espírito Santo, onde todos foram cheios do ESPIRITO SANTO, como sendo o pentecostes.


Se neste dia o dia de Pentecostes (Festa das semanas, colheita Lv 23:15,16; Dt 16:9,10) fosse ou se referisse a manifestação de poder do Espírito Santo, poderíamos interpretar da seguinte forma; Quem é da Tribo de Levi é levita, quem é de Samária é samaritano, quem é pentecostal é participante da festa de pentecostes, como que quem que é batizado com o Espírito Santo e se torna cheio do próprio Espírito Santo é denominado pentecostal e não cheio do Espírito Santo? Atos 2: 4...

Dar a Cesar o que é de Cesar, e a Deus o que é de Deus, isto foi o que falou Jesus. Mc 12:17

Se o avivamento já aconteceu como muitos dizem ser o que aconteceu na Rua Azusa, estamos em busca do que, de um reavivamento?

De que valeu a descida do Espírito Santo em que todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem no dia da FESTA DE PENTECOSTES, de que valeu este mover do Espirito Santo se ainda estamos buscando avivamento ou reavivamento?

Ser cheio do Espírito Santo não seria muito mais do que sentir algo? Não seria muito mais do que tremer? Não, seria muito mais do que querer receber e sim dar, não seria preencher algo que está vazio, fazendo-o inundar, derramar e transbordar.


A igreja dos dias de hoje esta em busca de um avivamento, e até ora pedindo a mesma unção e manifestação da Rua Azusa, não sei se os cristãos da Rua Azusa, pediam também a unção do dia de Pentecostes.                                                                                                                                                                                                                            
Mas enfim o que a igreja dos dias atuais está buscando, um avivamento ou um reavivamento?                                                                  
Avivamento – Ato de avivar – tornar vivo...

Reavivamento – Ação ou efeito de reavivar – tornar a ter vida... http://michaelis.uol.com.br/imagens/caixa-be.gifhttp://michaelis.uol.com.br/imagens/caixa-bd.gif

Atos 2 fala da manifestação sobrenatural do Espírito Santo, onde todos os que estavam ali receberam o poder do Espírito Santo, começaram a falar nas línguas das pessoas que participavam da festa de Pentecostes, línguas estas que não estavam acostumados a falar e muito menos se ouvia naquele lugar, falavam das grandezas de Deus. Atos 2:1-11

O que aconteceu depois destes terem sidos inundados por tamanha unção e graça? Todos foram para as suas casas?                                                                                        
No dia seguinte após terem retornado deste retiro espiritual, na empresa, na faculdade, no colégio, na casa dos pais não confessos a mesma fé, estes bradaram somos PENTECOSTAIS?


Empinaram os narizes diante dos demais irmãos de fé e falaram você é PENTECOSTAL, a sua igreja é PENTECOSTAL?                                                                                                      

O que os cristãos da Igreja Primitiva realmente fizeram?

Viveram e pregaram com as suas vidas de modo que caiam na graça de todo o povo, e estas aceitavam a Jesus, não por obrigação, mas pelo testemunho digno que estes davam diante das autoridades e da sociedade.                                                                                    

E por esta razão o Senhor acrescentava a Igreja, cada vez mais pessoas para serem transformadas, a Igreja se multiplicava, pregavam, ajudavam, estavam envolvidos com a sociedade nas obras sociais, a Igreja era o poder de Deus, para curar, transformar, libertar e salvar o perdido. Atos 2:41-47

A Igreja em Atos nasceu na unção e manifestação do Espirito Santo, na Rua Azusa ela foi avivada, nos dias de hoje ela precisa de um reavivamento, pois se encontra morta.

Hoje presenciamos um PENTECOSTALISMO morto, onde só ouvimos o barulho e não mais o choro, só ouvimos a mensagem dos interesses pessoais, da prosperidade e não mais da salvação, só ouvimos lamentações e não mais arrependimento, só ouvimos passar a mão no pecado e não do pecado, só ouvimos o pedir e não mais o dar, o ser servido e não mais servir.

A igreja dos dias atuais precisa provar algo mais de Deus em unidade, comunhão e união, pois a pesar dos pesares (não obstante todos os inconvenientes e dificuldades) ela é, e faz parte do Corpo de Cristo.

O modelo da Igreja não esta em ser como a Igreja de Atos, O Caminho, não esta em ser como a Igreja da Rua Azusa, não esta em ser como aquela que se considera a maior, a mais aconchegante, a que tem mais assentos, também não é aquela nos moldes do Templo do rei Salomão, mas sim aquela que faz a vontade de Deus e que vai de encontro aos perdidos, a Igreja verdadeira sai das quatro paredes para dar a sua vida em prol da vida de outros.

Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus. 
Mateus 16:18-19

Postar um comentário