quarta-feira, 23 de maio de 2012

FALTA DE ÉTICA...




ÉTICA... Quem já não ouviu isto no meio dos profissionais da mesma função, profissionais de ministério, quem já não ouviu alguém dizer, eu não falo nada de ninguém porque senão estou faltando com a ética, falar mal de um profissional do mesmo ramo é falta de ética, não se pode faltar com a ética, usar da falta de ética é desrespeitar o colega, etc e tals...


Mas o que é ética mesmo?                                                                                                                            
Do grego ethiké Parte da Filosofia que estuda os valores morais e os princípios ideais da conduta humana.   É ciência normativa que serve de base à filosofia da prática... Conjunto de princípios morais que se devem observar no exercício de uma profissão; Deontologia (estudo dos deveres). É Social: parte prática da filosofia social, que indica as normas a que devem ajustar-se as relações entre os diversos membros da sociedade.

Na filosofia estuda-se os valores morais, na ciência serve como base a esta filosofia, na social é parte da pratica que ajustam as relações, no estudo dos deveres de um profissional tem por obrigação acima de tudo, por em pratica seus princípios e fundamentos morais.

Onde então que vemos esta balela de falta de ética, que se falar algo contra alguém de profissão se falta com a ética, falam tanto de ética em todos os lugares, na política, nos departamentos públicos, nas faculdades, nas escolas, nas igrejas, nas universidades, mas na verdade a falta de ética é não usar corretamente a ética.

Lideres de todos os setores privados ou públicos, pagos ou gratuitos, espirituais ou não espirituais, religiosos ou qualquer coisa que seja, querem a ética, obrigam a ética, impõem a ética, mas na verdade tudo isso não passa de uma maneira de fazer com que a verdade a ser revelada não venha ser exposta, não venha à tona, não venha ao conhecimento das pessoas que confiaram valores pessoais em suas mãos, usam de desculpas medíocres, egoístas e hipócritas para favorecerem-se à custa dos outros.

Ocultar o erro de alguém no exercício das funções é a mesma coisa que ser conivente com o erro deste alguém, é muito comum às pessoas confundirem amizade com capacidade, amizade é um sentimento, é um afeto, já a capacidade esta ligada a responsabilidade, que esta ligada a qualidade, ao dever, a obrigação de responder por atos próprios e de outros sempre que estes atos violem os direitos de terceiros.

A amizade vem e passa já a responsabilidade moral fica para todo o sempre, a amizade é passageira, já a responsabilidade moral é eterna.

As pessoas estão mais preocupadas em acobertar os próprios erros e o erro dos outros do que tentar resolve-los, estão mais preocupadas com uma moral encoberta, oculta e negra do que a verdade que cura, que liberta e que transforma.

Estão confundindo uma coisa com a outra, estão mais preocupadas com o acontecer do que com o fazer, o que pode acontecer ou o que se pode fazer, por esta razão em vez de desfrutarmos de dignidade desfrutamos de impunidade, quantas pessoas foram acobertadas, quantas pessoas deixaram de serem penalizadas, quantas pessoas deixaram de serem conscientizadas, e por não serem, não conseguiram mudar, não conseguiram se transformar, não conseguiram abandonar as suas praticas erradas, e por esta razão hoje temos pessoas de todas as classes, clero, gênero, raça, cor, religião, e que ainda não desfrutaram de uma vida de verdade.

Viver da ética não é a mesma a coisa que praticar a ética, pois se vivemos em prol da ética com certeza iremos pratica-la, iremos coloca-la no devido lugar onde possamos ser honrados com um caráter e com uma moral indiscutível, iremos nos preocupar em termos princípios corretos, atitudes certas e uma vida integra, pois creio que ninguém que se preocupa com a sua imagem ira querer que ela venha a ser denegrida, e muito menos manchada.

Colocar a ética em pratica é também usa-la da maneira como ela deve ser usada, com transparência, com verdade e com naturalidade, não a usando para ocultar erros, certas inverdades, e nem muito menos para favorecer alguém que não esta nem ai com a sua ética, muito menos com a dele, pois se estivesse preocupado pensaria antes de cometer qualquer delito.

Por esta razão creio que quando criticamos alguém do mesmo ministério, desfavorecendo as suas atitudes erradas, sendo que este esta manchando, denegrindo e envergonhando a todos, não estamos faltando com a ética e sim estamos colocando ela em pratica.

Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem. Romanos 1: 32

Este texto nos fala que quem consente, aprova, permite, concorda, é tão culpado quanto aqueles que tais coisas praticam.                                                                                 

Faltar com a aplicação correta da ética é desmerecer o seu significado literal...

Postar um comentário