quarta-feira, 8 de agosto de 2012

O IMPORTANTE É COMPETIR E NÃO GANHAR...


No mês de Julho deste ano, 2012, deu-se inicio as Olimpíadas de Londres, atletas dos quatro cantos da terra representando o seu País de origem se reuniram para disputarem em diversas modalidades, medalhas de ouro, prata e bronze, além de estarem disputando a quebra de recordes. Muitos almejando um lugar no pódium, muitos querendo reconhecimento, muitos sendo enaltecidos, muitos desacreditados, muitos rejeitados, muitos considerados os melhores do mundo, o mais rápido, o mais forte, o mais vencedor de todas as historias das Olimpíadas, os imbatíveis, os que vão ser abatidos, os recordistas, os que vão fazer historias, os que vão para a gloria, enfim são tantas as frases que poderíamos escrever sobre momentos inesquecíveis e momentos que queremos esquecer, quando se ganha e quando se perde, quando se ganhou por mérito e quando se perdeu por negligência, quando se ganhou por negligência e quando se perdeu por mérito.  

Acompanhei algumas modalidades e numa delas vi dois extremos, quando a atleta, a modalidade era o Judo feminino, estava entrando para o combate a sua técnica falava, vai pra cima dela que você pode ganhar , você é melhor do que ela, vai na fé que você consegue, começou então a luta, a atleta brasileira que era a qual eu estava falando, entrou meio sem vontade, sem entusiasmo, disputava a medalha de bronze, com outra atleta da China, a brasileira se demonstrava meio desanimada, meio cansada, estava indisposta para lutar, enquanto isso sua técnica gritava, é a luta da sua vida, vai pra cima dela, você consegue, você é melhor do que ela, a atleta olhava para a sua técnica meio sem graça, meio que dizendo pelo olhar, eu não estou a fim da medalha de bronze, não que este não estar a fim fosse o verdadeiro motivo, mas é o que aparentava ser, evidente que alguém teria que ganhar, ou a brasileira ou a chinesa, nesta disputa uma das duas sairia vencedora, e a luta rolava e a técnica gritava, esbravejava, se esgoelava, e a brasileira nada de corresponder com o que a sua técnica lhe orientava, e a luta então seguia adiante, a chinesa tinha mais ação, mais atitude, mais vontade, ela havia entrado para ganhar o combate, e enquanto que a brasileira parecia estar ali por estar, como se dizem cumprindo tabela.

Enfim o que você acha que aconteceu... A brasileira perdeu a luta, perdeu o combate, se machucou num golpe que a sua adversaria lhe havia aplicado machucando o seu braço, teve que bater, e bater é um sinal de pedir arrego, de dizer estou vencida, derrotada, de dizer acabou, quando a adversaria viu que o juiz deu o veredicto final, ela se sentiu no auge, abriu um sorriso, olhou para a sua técnica dizendo; eu venci, enquanto que a brasileira chorava, pela dor no braço e com certeza pela perda da luta, se levantou cabisbaixa e nem olhou nos olhos da sua oponente, foi em direção da sua técnica, chorando, enquanto a chinesa pulava de alegria do outro lado, por ter ganho a medalha de bronze. 

A brasileira derrotada desceu as escadas do tatame, e se debruçou no ombro da sua técnica, e dava para ver os gemidos inexprimíveis, a dor, a derrota, a decepção, o desgaste, esta, a técnica arrumando palavras para a consolar disse-lhe varias coisas, e dentre estas alguém disse: "o importante é competir e não ganhar". 

Algumas lições que podemos aprender com este acontecimento, das Olimpíadas...

Existem pessoas que confiam em pessoas, pessoas que depositam credibilidade, e mesmo que aos olhos desta pessoa o adversário seja mais forte, mais experiente, a melhor coisa a ser feita é transmitir palavras de incentivo, palavras de ânimo, palavras de encorajamento, palavras que possam mexer com a hombridade da pessoa e que esta possa olhar para a sua adversaria no mesmo nível, não se importando se ela já á venceu ou se ela vai vencer. 

Quando alguém demonstra confiança por algo que está em nosso poder, precisamos dar o melhor, fazer o melhor, precisamos querer vencer os obstáculos que estejam tentando nos deter, os obstáculos existem para serem transpassados e jamais desviados.

Não importa a experiência que o adversário tenha na disputa, o que importa é, se usar da inteligência, é observar os movimentos, tentar enxergar o ponto fraco do adversário, não ter pressa a não ser que se tenha uma estratégia definida da qual seja para eliminar de vez a ação do adversário, se apressar ao combate não significa sair afoito de encontro ao adversário, mas significa atacar, minar, fazer com que o adversário seja surpreendido por uma atitude inesperada, precisa saber, o que se esta fazendo, ter a certeza, a convicção do que se pode fazer para leva-lo ao chão. 

Confiar em si mesmo é fundamental para o momento da disputa, e quando alguém está se esgoelando do outro lado, lhe passando informações é bom poder ouvir e também poder lutar, não desviar a atenção do foco, do alvo e do propósito, ninguém vence nada na vida sem esforço, sem suor, sem lágimas, dor e cansaço, ninguém consegue atingir o ápice legalmente se não fizer todas as coisas da maneira mais honesta, as coisas desonestas podem durar muito, mas as honestas durarão pela eternidade.

Não existe ninguém melhor do que ninguém, a não ser que o esforço dispensado de um dos lados seja o mais consciente, o mais sábio, o mais estratégico, o mais agressivo, disposto a ganhar, disposto a estar no lugar mais alto do  pódium, que realmente esteja disposto a se tornar o vencedor, independente de qualquer coisa, desde que seja feita da maneira honesta. 

O que podemos aprender com esta historia, onde muitas pessoas virão o acontecido, na realidade são inúmeras as lições, várias e de todos os tipos, que poderão ser aproveitadas para o enriquecimento da nossa consciência, tanto na parte de quem ganhou o combate, como também da parte de quem perdeu, evidente que aprendemos com erros e acertos dos outros, e muitas coisas poderão ser aplicadas em nossas vidas, para que em momentos em que estivermos frente a uma situação, possamos não agir da maneira que nos faça perder, mas sim daquela que possamos nos tornar um vencedor..

Existem alguns conselhos que até mesmo na hora de consolar o perdedor se torna indispensável, por isso que precisamos estar conscientes em meio a situação, independente da qualquer que seja, temos por cultura, costumes e até  mesmo por não querermos magoar quem esta saindo de um combate ou até de uma situação difícil, amenizar o que aconteceu, palavras que supostamente serão ditas para que a pessoa se torne mais confiante, para que a pessoa mude a sua atitude de defensor para atacante, e alguém disse; a melhor defesa é o ataque, vejo nisto algo muito importante pois quem ataca tem mais opções e uma delas, se for consciente e objetiva poderá ser fatal.

A técnica da lutadora brasileira fez o que pode para mudar a situação, até mesmo quase entrou na luta para ajudar a sua atleta, gritava, esbravejava, se esgoelava, mas nada disso adiantava, suas palavras não tinham efeito nenhum mediante a apatia que tomava conta da lutadora, podemos colocar milhões de questões a favor desta atleta que perdeu a chance de ganhar, na verdade não seriam nem questões, mas diria desculpas, não estava num bom dia, estava cansada, estava desgastada, estava com dor, estava indisposta, ou qualquer outra coisa que poderá ser acrescentada, ou até mesmo a verdadeira real situação da qual a atleta se encontrava, mas enfim nada ira mudar a atual situação, e o que eu quero tomar como lição em tudo isso é que podemos perder, mas nunca podemos perder sem lutar, sem demonstrarmos um minimo de esforço, nosso adversário precisa saber que poderá ganhar, mas não será  fácil, não irá  ganhar na moleza, terá que se esforçar para obter a vitoria, não importa quantas vitorias ele tenha, ninguem é invencível, e todos estão sujeitos a se tornarem um perdedor, até mesmo os eternos ganhadores. 





A frase dita; O IMPORTANTE É COMPETIR E NÃO GANHAR, é uma frase muito comum no nosso meio, até mesmo eu já disse isso quando em um jogo de futebol perdemos, mas refletindo após ter dito isto, pensei, competir é importante e ganhar nãoSerá que mais importante que ganhar é realmente competir? Se competir é tão importante quanto ganhar, então  vou competir por competir, tanto faz como tanto fez, pois o que importa mesmo é você estar , mas estar para que? Para simplesmente dizer eu estive lá? 

Existem questões em nossas vidas que nós mesmo desmerecemos o mérito que temos, pois todo o esforço dispensado se não tiver uma atitude positiva vai se tornar em vão. 

Competir para não ganhar é a mesma coisa que desmerecer toda a credibilidade que nos foi confiada, é desmerecer a atitude das pessoas que confiam em nós e que por mais que alguém não acredite tanto, sempre terá alguém que ira acreditar.

Isto me lembra uma historia que eu vi a alguns anos atrás, onde um pai que perdeu a sua esposa e tinha que cuidar da sua filha pequena, a família da sua esposa entrou para tomar a guarda da criança, na audiência a família por parte da sua esposa estava confiante que o juiz daria a guarda a elas, pois estas achavam que tinham a total condição de cuidar daquela criança, pois a condição financeira era totalmente favorável a elas, depois de muita luta e quando o juiz já estaria dando a guarda para os pais de sua esposa, este o marido e pai disse ao juiz; Meritíssimo deixa eu provar que eu tenho condições de criar a minha filha, da mesma forma como tive condições de fazer ela, estas palavras tocaram fortemente o coração daquele juiz e este então concedeu a guarda ao pai. 

Como podemos pensar somente em competir quando a vida nos dá a chance de mostrarmos que temos condições de ir além, GANHAR! Como podemos pensar em somente estarmos presentes na disputa, quando existem pessoas distantes torcendo para ganharmos
? Como podemos desmerecer as nossas condições mediante as condições do nosso oponente, sem ao menos tentarmos o confronto e medirmos além da força a inteligencia? Por estas razões e tantas outras que poderíamos descrever aqui, digo sem medo de errar, competir é importante, mas, mais importante que competir é ganhar, e poder dizer para todo mundo ouvir, com todas as palavras EU GANHEI, EU VENCI, EU SOU UM VENCEDOR... 

Uma outra coisa me chamou a atenção quando um atleta da Grã-Bretanha após receber a medalha disse a um dos repórteres que o entrevistava, nós competimos por amor a nossa Pátria, o ganhar faz parte de amar o nosso povo, que torce por nós... 

Na vida em que vivemos neste mundo existem várias razões das quais nos fazem constantemente lutar, travar uma batalha quase que diária, muitas vezes no físico e muitas vezes no espiritual, muitas vezes lutamos contra nós mesmos, quando não contra um adversário invisível, na realidade viver é lutar pela sobrevivência, lutar para obter uma condição melhor, lutar para ser alguém, que mereça o respeito, a honra e porque não até mesmo a glória?

Como poderíamos dizer que estamos nesta vida somente por viver e não para sermos alguém? Como poderíamos dizer que estamos neste mundo simplesmente pelo mero fato de um descuido dos nossos pais, pois não pedimos para nascer? Como não podemos valorizar uma das maiores senão a maior dadiva, a VIDA? 

Estamos então na concepção de alguns, somente para competir e não para ganhar?

É por esta razão que as pessoas menosprezam muitas coisas na vida, e também pela mesma razão que vemos mais pessoas derrotadas do que vencedoras, vemos mais perdedores do que ganhadores, enquanto as pessoas não mudarem o modo de pensar também não poderão mudar qualquer situação em suas vidas. 




Enquanto houver o minimo de força e de fôlego de vida ainda haverá a esperança...  

Postar um comentário