quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

INTOLERÂNCIA... RELIGIOSA...


Falando sobre este assunto podemos ver duas coisas, intolerância e religião, podemos discorrer sobre o assunto de uma maneira bem sucinta, simples e objetiva, e creio que muitas das coisas que iremos meditar neste texto, têm a ver com algumas coisas que fazem parte da nossa vida no nosso dia a dia...

Quando se fala de intolerância, fala-se da falta da capacidade de tolerar, de levar com paciência, de suportar, a falta de ser tolerante torna a pessoa em um ser intolerável e desagradável.

E quando se fala de Religião, fala-se em religar-se, fala-se em cultuar, preces e observâncias, crenças ou doutrinas religiosas; sistema dogmático e moral no âmbito eclesiástico, veneração às supostas coisas sagradas; devoção, que reúne fé, piedade, um conjunto de ritos e cerimônias, sacrificais ou não, um cerimonial litúrgico. Instituição social com diversas crenças e rituais, Instituição social criada em torno da ideia de um ou de vários seres subjugados sobrenaturais e de uma relação próxima com os homens, conjunto a que se baseia somente nas inspirações do coração e da razão, veneração ou adoração religiosa da natureza em diversas coisas e seres como: nos animais, nos astros, no próprio homem e etc.

Como podemos ver segundo o significado de intolerância e religião, podemos então unir as duas coisas juntas para que possamos chegar ao objetivo do texto, INTOLERÂNCIA... RELIGIOSA, e isto não esta ligado somente à questão religião no sentido de denominação, entidade ou crença, pois como é do nosso conhecimento muitos fazem de tudo por sua religião, muitos dizem que tal time é a sua religião, que tal banda de rock ou qualquer outro segmento musical é a sua religião, alguns falam propriamente da religião mesmo, daquilo que os une a uma harmonia satisfatoriamente pessoal.

A questão falar, particularmente eu não vejo problema algum, mas quando a coisa toma outras proporções como, quando se usa a intolerância, a falta de entender e compreender que todos tem direitos e deveres, todos tem um livre arbítrio, todos tem opiniões e princípios, capacidade racional, moral e pessoal.

O problema é quando não se pode escolher qual time pode se tornar o preferido, qual banda ou o tipo de som que mais lhe agrada, ou qual o tipo de musica que você prefere ouvir, ou qual a forma de crença que você quer seguir sem que ninguém interfira, não respeitando a sua escolha e vontade, quando as proporções se tornam intoleráveis, quando as pessoas não querem compreender e muito menos aceitar a sua livre escolha, é bem ai que mora o perigo, o perigo de ferirmos e magoarmos, o perigo de machucarmos e porque não até mesmo o perigo de matarmos, tudo em nome de que; da nossa intolerância, da nossa religiosidade, em nome daquilo que achamos que sendo bom para nós, será bom para todo mundo. 

Quando na verdade nem todas as coisas foram descobertas e criadas para agradar a todo mundo, quando não se pode escolher qual time se vai torcer, qual estilo de musica pode-se ouvir, qual cor que combina mais, como se vestir, como se comportar, ser introvertido é ser tímido, ser extrovertido é se exibido, infelizmente as pessoas não aprenderam nada em todos os anos milenares da existência humana, não bastam os exemplos antigos e nem muitos menos os modernos, sendo bons ou ruins, certos ou errados, o ser humano não aprendeu nada de nada.

Matam pessoas inocentes, e também pessoas com opinião própria, por causa da religião, da banda preferida, do time, do estilo de vida, da livre escolha, matam porque a escolha não é a mesma, porque a intolerância ensina ser ignorante, ensina ser sem misericórdia, sem amor, sem compaixão, a intolerância ensina ser irracional, como também a religião ensina ser fanático, e quando se une as duas coisas, unem-se também as coisas do principio, do inicio, da criação perfeita de Deus, transformada na queda do homem pelo próprio homem, que o tornou em um ser egoísta, hipócrita e medíocre.

O melhor de hoje pode se tornar em o pior de amanha, como também o certo de hoje pode se tornar o errado, e vice-versa, não existe o melhor de tudo, que dure e permaneça perpetuamente, existe sim um Deus sempiterno, um Deus amável e misericordioso, onipresente, onipotente e onisciente, que é imutável e soberano, quer acreditem ou não, quer queiram provar em qual religião ele esta ou não, quer queiram dizer quem ele é, ou a favor de quem esta, na verdade o único Deus criador dos céus e da terra não esta na religião e muito menos no coração dos intolerantes, mas sim esta a disposição de todos aqueles que são necessitados do seu amor e graça, e que queiram reconhecê-lo como o único Deus e não como um objeto qualquer, e muito menos como vários deuses diferenciados pela consciência humana, esta disputa de quem quer provar quem é o melhor ou quem esta certo, é coisa de quem não sabe de nada, muito menos dos mandamentos que lhe foram ordenados pelo seu criador.

Os intolerantes tentam provar o errado, os intoleráveis tentam provar que estão certos, a religião tenta religar o homem a Deus, os religiosos tentam provar que Deus esta somente com eles, intolerância e religião estão em todos os lugares, principalmente naqueles que estiver a razão humana, transformada em soberba, presunção e ignorância.

A falta do que é mais precioso no coração dos homens o temor a Deus e o amor ao próximo, transforma-os em seres; cheios de toda a iniquidade  prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; 
Romanos 1:29-31
Postar um comentário