sábado, 23 de fevereiro de 2013

A SOMBRA DO VATICANO...


São tantos os comentários voltados a renuncia do Papa Bento XVI, que a tragédia de Santa Maria nem é mais comentada pela mídia, já se esqueceram, ou não precisam mais dar importância para o fatídico acontecido que traumatizou o nosso país, Brasil, varonil de um povo heroico.

A bola da vez agora é sobre a renuncia do Papa Bento XVI, a mídia através dos meios de comunicação estão voltadas para o porquê do Papa renunciar a sua estola, quais seriam os verdadeiros motivos de levarem a tão considerada autoridade mundial, reconhecido pelos governantes mundiais, a renunciar publicamente o seu trono.

São tantos os boatos sobre a decisão do Papa, que as especulações partem de escândalos no clérigo do vaticano, a exposição da Igreja às chantagens e extorsão por práticas de pedofilia e homossexualismo, dentro e fora do próprio vaticano.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/jornal-italiano-associa-renuncia-do-papa-a-relatorio-sobre-lobby-gay-no-vaticano-1585420

Bom do que isto importa se cada um dará conta de si mesmo, e quem somos nós para julgarmos o pecado alheio, tudo isto só serve para nós de duas maneiras, termos o cuidado para não cometermos tais pecados, iguais, ou até mesmo piores e para sabermos que o que faz de uma pessoa ser de Deus não é a aparência externa, ou seja as vestes, mas sim as atitudes internas, aquelas que verdadeiramente procedem de um coração puro.
A palavra Papa, provém do Latim "Papa", e do Grego πάππας, Pappas, uma palavra traduzida carinhosamente para PAI.

Então segundo a tradução e o significado da palavra, "Papa", quer dizer que o Papa é o PAI do catolicismo romano, e também líder mundial da Igreja Católica, o papel de pai, segundo a bíblia é o de provedor, de protetor, trazendo para o popular da palavra pai, significa o genitor, aquele que gera.

Não desmerecendo a posição do atual líder e pontífice, o Papa Bento XVI, e de acordo com os comentários que se diz respeito a sua “decisão”, se é que isto tudo é verdade da sua parte dizendo estar cansado e velho em idade, não que esteja afirmando tal decisão ser uma mentira, mas de acordo com tais fatos encobertos dentro do próprio Vaticano, (Stato della Città del Vaticano), lugar que se diz sagrado, e considerado pelos lideres católicos como o lugar da verdadeira santidade, e sendo mesmo assim nesta consideração, estar volúvel a pecados de ordem moral, se torna meio estranho de uma hora para a outra acontecer esta decisão, sem ao menos haver um preparo a consciência dos fieis que julgam tal sumo - pontífice como a autoridade espiritual máxima dentre tantos, ou como o consideram Pai, (Papa), pois sem aviso prévio os fieis foram tomados de espanto e surpresa, e muitos até hoje não entenderam tal decisão do Pai espiritual da Igreja Católica de ter renunciado.

Em meio às especulações da imprensa, e de uma boa parte estar dizendo e afirmando tais fatos como corrupção e promiscuidade, há quem diga algo a favor a decisão tomada pelo Sumo – Pontífice Papa Bento XVI, de realmente estar desgastado e esta seria a atual razão de estar renunciando.

Isto demonstra que até mesmo aquilo que achamos ser o maximo, ou o ápice em qualquer sentido, até mesmo ao sentido espiritual, independente de clero, vemos falhas e dogmas não sendo cumpridos, isto também demonstra a fragilidade de tais fatos independente de denominação ou posição de fé, pois, ninguém e nada pode se achar o imbatível, ou o insubstituível, ou até mesmo o interminável. 

A renuncia do Papa Bento XVI nos ensina justamente isto, eleito em posto vitalício, (destinado a durar toda a vida), com votos de seus fieis conselheiros os Cardeais, que depositaram a sua confiança em sua santidade o Papa, para o cargo eclesiástico chamado de PAPADO, com a sua sede de Santa Sé, (Santa Sé Apostólica), separado e escolhido para chefiar não somente uma religião, o catolicismo, como também chefiar uma Igreja, a Católica Apostólica Romana, e para também ser chefe de Estado da Cidade do Vaticano, mediante a estes cargos o Papa tinha uma responsabilidade acima de qualquer governo, sua autoridade era reconhecida mundialmente, pois foi considerado apaziguador da paz e conselheiro das nações.

É de admirar que alguém renuncie a algo do qual teria um chamado tão importante e que duraria até que a morte o separe, então seria este mesmo o real motivo de tê-lo feito desistir do seu chamado, estar cansado, ou será que teria outro motivo, do qual ainda não nos foi revelado.

Após o Papa entregar o seu posto que era para ser vitalicio, este ficara em um mosteiro esperando a morte chegar, isolado dos seus milhares de fieis o qual ele mesmo e outras autoridades dizem ter alavancado a Igreja Católica Apostólica Romana, dizem que Bento XVI revolucionou o catolicismo no mundo, e agora então decidiu entregar os betes, por qual razão somente ele mesmo sabe, seria pelo motivo do qual ele mesmo declarou, ou até mesmo por outros que foram declarados pelos seus conselheiros e porque não adversários ministeriais, mas a decisão tomada devera ser cumprida logo mais a alguns dias, e um outro Pai (Papa), ou até mesmo quem sabe Padrasto devera ser eleito em seu lugar.

Bom na verdade isto para mim não importa muito, não que 
esteja faltando com o respeito à decisão tomada pelo Papa, ou pela Igreja Catolica, mas simplesmente pelo fato de saber que se a sua função seria até o fim de sua vida, vitalícia, intocável, porque então abandonou quase no fim do seu propósito, cansaço, enfado, enfermidade, ou qualquer outra coisa, que então possamos nos lembrar de que antes de Bento XVI, houve outro em seu lugar e pelo que me parece este foi até o fim de sua vida João Paulo II, o que o separou da sua missão diante do catolicismo foi somente a morte.

Mas o que sera que eu tenho haver com isso, devido eu mesmo dizer que não me importava com tal decisão, quero dizer que as decisões tomadas pelos outros, que estas, nos ensinem, independente de estarem certas ou erradas, independente de serem as melhores ou as piores, mas que nos ensinem a não ficarmos na sombra e sim que possamos fazer a sombra, pois ela pode abrigar o cansado, curar os enfermos e restaurar vidas para o maior propósito que há debaixo dos céus, e que não é a melhor igreja, ou alguma religião qualquer, ou até mesmo o que muitos pensam ser a principal denominação, ou a placa denominacional que muitos acham ser fenomenal, ou qualquer outra coisa que parta de um principio do qual nós estamos envolvidos, mas que seja sim o único e maior propósito de todos, do qual Cristo nos deixou por legado, confiando totalmente ao nosso dispor, que possamos semear a paz, o amor, a vida, que possamos levar esperança aos desesperados, que possamos dar vista aos cegos e por em liberdade os oprimidos, que possamos efetuar com tremor e temor o chamado que nos foi confiado.

Mas agora se realmente alguém não se achar capaz para tal chamado, se o peso da obrigação se tornou em fardo, ou se não existe mais o ânimo, o amor e a graça de se fazer pela graça, o bom mesmo é renunciar, para que possa entrar outro em seu lugar e quem sabe fazer aquilo que você estava destinado a fazer e não o fez, pois, aliás, fomos chamados para servir e não sermos servidos, e para terminar, nosso descanso não é neste mundo, mas sim na eternidade, juntos com aquele mesmo que nos alistou, Cristo Jesus o nosso Senhor... Então até que a morte nos separe da nossa missão nesta terra... 
Postar um comentário