quinta-feira, 14 de junho de 2012

CRISTIANISMO SUFOCADO...




Que tipo de cristianismo estamos vivendo nos dias de hoje?

Será que estamos vivendo o verdadeiro cristianismo?

Porque vamos para a Igreja?

Porque devo aceitar a Jesus?

Estamos desfrutando de um avivamento de verdade?

Estas são algumas perguntas de tantas que temos a fazer no que se diz respeito DO POR QUE me considero um cristão.

Segundo o dicionário ser cristão significa professar (reconhecer e confessar) o cristianismo, alguma outra interpretação significa ser PARECIDO COM CRISTO, e por ai a fora há diversas interpretações sobre cristãos adeptos do cristianismo.

Na época da Igreja Primitiva (Caminho Atos 24:14) vemos um referencial de um estereotipo de Igreja que fora fundada e fundamentada em Cristo (Mateus 16:18), e que particularmente não tem nada a ver com a Igreja dos dias atuais.

A simplicidade da mensagem atraia as pessoas a Igreja, os Apóstolos eram estimados no meio da multidão, sinais e prodígios eram feitos com naturalidade, as pessoas ofertavam não por obrigação, mas sim por amor e prazer, a comunhão e a unidade era um estilo de vida, respeitado ate mesmo por aqueles que se consideravam inimigos da cruz de Cristo.

Vemos hoje a “Igreja” que fala muito sobre liberdade, que prega a liberdade, que diz que estuda a liberdade, mas será que desfruta desta liberdade?

Será que vivemos em liberdade? Particularmente eu acho que não, e olha que isto não tem nada a ver com a teoria do achismo, e digo mais, porque as pessoas não desfrutam de liberdade.

Porque liberdade é viver em um estado (modo de ser ou estar) livre e isenta de restrição, eu disse viver, e viver é existir, ter vida e desfrutar desta vida. E vejo que não vivemos e muito menos desfrutamos de algo nesta vida vivendo em prol da Igreja, dos ensinamentos da Igreja, não estou dizendo que não precisamos da Igreja estou dizendo que a Igreja exige muito das pessoas, cobram, impõem, prendem, fazem com que as pessoas vivam de um ato obrigatório, você tem que ir, ou estar, ou fazer, ou dar, etc...

A Igreja é egoísta, as pessoas não pertencem a ela, pertencem a Cristo, mas ela a “Igreja” faz de tudo para prender e aprisionar as pessoas, lançam palavras de maldição, palavras de derrotas, se sair da tal igreja torcem para que voltem para a tal “IGREJA” quebrados, arrependidos, amaldiçoados, endemoniados, rebelados, rastejando pedindo perdão para a Igreja e não para Cristo, porque um dia saíram e foram para uma outra Igreja, ate parece que esta Igreja é a única que faz parte do corpo, as demais não, se autodenominam as melhores, as mais bonitas, as mais fervorosas, as mais ungidas, fazem dos cultos a Deus, cultos a pessoas, pastores, músicos, bandas, profetas, missionários, pregadores da prosperidade (que é o auge do momento), pois alias a “IGREJA” só vive em prol disto nestes dias, falam mais de prosperidade do que qualquer outra coisa útil, como: salvação, arrependimento, vida com Deus, obediência, gratidão etc...

Por esta razão vivemos um cristianismo sufocado, um cristianismo onde estamos aprisionados a rituais, condicionados a fazer, porque se não fazer não recebe, se não recebe é porque esta em falta, e se esta em falta é porque é desobediente, e se é desobediente é porque é rebelde, a Igreja não esta preocupada em ensinar, esta preocupada em cobrar, esta preocupada em aprisionar as pessoas dentro dos seus rituais, se apoderam da palavra para subjugar as pessoas, a Igreja dos dias atuais não esta preocupada em fazer as pessoas cultuarem a Deus, e sim preocupada em fazer com que as pessoas cobrem os seus direitos diante de Deus.

A Igreja foi instituída (criada e fundada) e constituída (organizada e formada) por Cristo (Mateus 16:18), esta Igreja Cristo entregou aos seus seguidores, para que através dela possam dar continuidade a obra da qual ele veio realizar nesta terra, sua maior missão era fazer desta uma casa de oração e não um covil de ladrões. Mc 11:17

Não estou rotulando nome de Igreja, ou dizendo esta ou aquela, e também não estou levantando a lebre para que alguém diga o que eu não disse, porque podemos sim fazer parte de um corpo que esteja ou que venha a agir de uma maneira errada, o que não podemos fazer é consentir com tais atitudes, e para isto não precisamos necessariamente nos rebelar, precisamos demonstrar a nossa insatisfação sendo transparentes, sendo sinceros, nos manifestando de dia e não de noite, ou seja, às claras e não por traz, e se entramos pela porta da frente que não venhamos sair pelas dos fundos, que a nossa liderança possa nos conhecer por atitudes legais e não por atos inconsequentes.

E até importa que haja entre vós heresias (Doutrina que se opõe aos dogmas da Igreja), para que os que são sinceros se manifestem entre vós. I Corintios 11:19...
Postar um comentário