quinta-feira, 5 de julho de 2012

UMA FESTA NO DESERTO...


Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Deixa ir o meu povo, para que me celebre uma festa no deserto... Êxodo 5:1b

Deus levantou Moisés porque tinha um grande projeto a realizar através da sua vida, o propósito de Deus se iniciou desde o seu nascimento, quando Deus o livrou da morte, entregando-o nas mãos da filha de Faraó para ser criado nas regalias da realeza faraônica. Êxodo 2:5, 6                                                                                                               
 

Moisés foi o homem que Deus escolheu para fazer com que o povo de Israel fosse liberto do cativeiro egípcio, pois estes viviam em uma aflição constante, sendo oprimidos e humilhados, clamaram e o seu clamor chegou aos ouvidos do Senhor. Êxodo 3:7

Quando Moisés chega a Faraó para falar o que o Senhor lhe ordenara, ele diz; que o povo iria CELEBRAR UMA FESTA NO DESERTO... ideia que temos sobre a libertação do povo de Israel é que estes iriam sair do Egito direto para uma terra que mana leite e mel, uma terra prometida. Êxodo 3:8

Entre a terra que mana leite e mel e a promessa havia um lugar chamado DESERTO.

Quando se fala em deserto imaginamos um lugar seco, árido, vazio, solitário, sombrio e sem vida, quando falamos sobre o deserto pensamos em tratamento, provação e dependência, quando estamos no deserto queremos que Deus fale conosco.

Porque será que quando se fala sobre este texto muita gente se antecipa e já vai direto para as promessas, o que tenho visto é que ninguém quer pagar preço, ninguém quer passar pelo deserto, já querem ir direto para a terra prometida.

A igreja tem vivido nestes dias justamente em prol disto, “PROMESSAS”, todos querem as promessas de Deus, todos querem as bênçãos de Deus, todos querem porque esta escrito, e se esta escrito nos achamos no direito de cobrar de Deus, só que nos esquecemos que também esta escrito o porque Deus levou o seu povo para o deserto; para CELEBRAR UMA FESTA; celebrar é festejar é adorar, Deus tirou o seu povo da servidão para a adoração.




Antes de o povo entrar na terra que mana leite e mel, a terra prometida, precisavam adorar a Deus no deserto, esta era a primeira intuição de Deus, de levar o povo para o deserto, alem de ele cuidar pessoalmente do povo com uma nuvem de dia, para proteger do sol escaldante, uma coluna de fogo a noite, para aquecê-los e os iluminar, água para matar a sede, maná (iguaria dos céus), codornizes, (carne nobre) e tantas outras coisas, o propósito principal era fazer com que o povo aprendesse a adorar a Deus de verdade.

Quando falamos de adoração automaticamente vem em nossa mente musica, estamos acostumados, mecanizados e viciados á adorar cantando, não que isto esteja totalmente errado, mas só o adoramos com uma canção que gostamos, e ai não sabemos se é a canção ou é Deus que esta nos tocando, associamos adoração com canção, com musica, e não associamos adoração com sacrifício, não vemos adoração como provisão, temos visto todas as coisas baseadas em oferta (dinheiro), mas não em  sacrifício, sacrificar o nosso eu, nossa carne, nossas vontades, sacrifício é entregar, é morte, é dar e entregar o melhor de si.

Deus levou o povo para o deserto, pois queria realizar grandes coisas em suas vidas, queria que o povo contemplasse as suas maravilhas, para que ele o Senhor fosse adorado.  
Como é cômodo adorar quando esta tudo bem, adorar quando não precisamos sacrificar nada, quando cantamos, quando estamos focados somente nas promessas, como é bom adorarmos quando não precisamos passar pelo deserto porque AS PROMESSAS nos dão respaldo.

Existe sim uma terra prometida, mas antes existe um deserto a ser transpassado, existe um deserto para que possamos aprender a ter necessidades e dificuldades, precisamos aprender a ser dependentes, transparentes e obedientes, precisamos aprender que existem pessoas ao nosso redor, pessoas necessitadas, precisamos aprender a valorizar a vida e as coisas que Deus nos deu, precisamos aprender que no deserto somos levados para adorar em meio as dificuldades, e jamais em meio as facilidades.


Adorar é também servir, prestar serviço, oferecer algo, dar em troca, se disponibilizar, se comprometer, agradar, prestar gratidão, adoração esta associado à servidão ao nosso Deus.

Moisés subiu ao monte, enquanto o povo via o monte fumegando, relâmpagos e trovões, sonidos de buzinas, tremor, e a ordem era para que ficassem no pé do monte, para que não subissem, mas para que se santificassem. Êxodo 19: 16-25

Enquanto Moisés recebia as tabuas da lei o povo o aguardava lá embaixo, o povo tremia com tudo o que estava acontecendo, preferiam ouvir a Moisés (o homem) em vez de ouvir a Deus. Êxodo 20:18-21

Depois de um longo tempo, o povo estava cansado de esperar, visto que Moisés tardava, chegaram-se a Arão (o homem) e disseram-lhe faze-nos um deus que vá adiante de nós. Êxodo 32:1

Há uma grande necessidade na vida humana de adorar, isto é nato em nossas vidas, faz parte da nossa natureza.

Vemos que o povo de Israel sentia esta necessidade, pois não aguentaram a esperar Moisés descer do monte, pressionaram a Arão para que este fizesse um deus para eles, e Arão fez um bezerro de ouro. Êxodo 32: 2-4

A adoração não esta condicionada (Pôr condições, tornar dependente) ao homem, esta associada (Associar = agregar, ajuntar, reunir, unir-se, fazer-se partícipe, tomar parte) a Deus, pertence a Ele, foi instituída para ELE e para mais ninguém.

O capitulo 32 do livro de Êxodo expressa muito bem sobre o assunto, depois de séculos vemos se cumprindo o que foi escrito, Deus não esta disponível num estalar de dedos e nem muito menos num esfregar de mãos, Deus esta a procura de verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade (João 4:23), independente de condições, mas aptos de situações...



Celebrar uma festa no deserto, não é pular uma marcha de carnaval, (ALLAH-LÁ-ÔÔÔ... Mas que calor, ô ô ô ô ô ô Atravessamos o deserto do Saara...) Que é o que parece estar acontecendo, porque em vez de estarmos associados a sacrificar para adorar, estamos condicionados pagar para adorar.


Postar um comentário