quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

ERRAIS PORQUE NEGLIGENCIAIS... QUANDO O PRAZER SE TORNA MOMENTÂNEO...


E disse Esaú a Jacó: Deixa-me, peço-te, comer desse guisado vermelho, porque estou cansado. Por isso se chamou Edom. Gênesis 25:30

Dois irmãos, duas historias, duas realidades e uma só promessa.

Esta é a realidade na vida de Esaú e Jacó, filhos de Isaque e Rebeca, netos de Abraão e Sara preeminentes de uma promessa imensurável, um seria o pai de uma grande nação e a outra seria a mãe de multidões, e assim por ambos todas as famílias da terra seriam abençoadas.Gênesis 12:3

Havia nesta época uma grande benção, destinada ao primogênito, o primeiro, o filho mais velho, a benção da primogenitura concedia a este, após a ausência do pai por qualquer motivo, geralmente após a morte, salvo alguns casos raros quando o pai estava debilitado, (Gênesis 27:1), este o pai, então lhe passava esta autoridade antes de morrer, a benção da primogenitura, o primogênito então poderia ficar no lugar do pai e ser o responsável por todas as coisas das quais estava sobre a responsabilidade do seu pai.

Podemos então ver que esta dádiva passada de pai para filho, se refere a uma benção incondicional, pois é uma honra, não tomar o lugar do pai que é o cabeça da família, e nem substituí-lo, mas sim representa-lo em meio à sociedade e diante de seus familiares.

Dádiva esta que Esaú negligenciou, desprezou, não deu a devida importância pela consideração que seu pai tinha por ele, preferiu satisfazer a sua vida carnal, pensou somente no seu estomago e em mais nada e ninguém.

Quando Esaú se deparou com o seu irmão Jacó preparando aquele guisado que parecia ser saboroso, este diz a seu irmão; Deixa-me, peço-te, comer desse guisado vermelho, porque estou cansado.

Uma pequena observação, quando estamos com fome até mesmo as coisas que não tem muito gosto para nós, até mesmo aquilo que não é do nosso maior apreço se torna uma iguaria.

Esaú foi apanhado literalmente pelo estomago, vencido pelo cansaço e derrotado pela negligência, e pela falta de conhecimento e sabedoria.

Pois quando Jacó lhe mostra o interesse sobre a primogenitura dizendo; "Vende-me primeiro o teu direito de primogenitura." Este sem titubear, lhe responde; "Morro de fome, que me importa o meu direito de primogenitura?" Gênesis 25:31, 32 

Para Esaú a primogenitura não significava nada, mas para Jacó, este era capaz de fazer qualquer coisa, até mesmo enganar o seu pai para adquirir o direito primogênito.

Esaú estava desprezando neste momento o dever de preservar a instituição e constituição da família, estava desprezando a confiança de seu pai depositada sobre a sua vida, pois Isaque o preferia mais do que a Jacó. Gênesis 25:28

Falando em família, esta instituição e constituição de Deus, tão atacada, tão perseguida, tão guerreira, que o inferno vem tentando destruir desde a criação do mundo, mas nem o inferno e nem ninguém poderá banir da vida humana, esta benção divina, aconteça o que acontecer, nada e ninguém poderá fazer com que a família entre em extinção, poderão surgir leis, reuniões, protestos, ou seja, lá o que for esta instituição jamais se acabará, pois ela é espiritual e eterna.

A lentilha é um grão leguminoso que se familiariza com os legumes, contem vitamina C e sais minerais, rica em ferro, cobre e fósforo, também é rica em fibras e não possui gordura, é um alimento usado no preparo de sopas, pratos recheados, cozidos e saladas.

A lentilha tem lá o seu valor, mas vamos e venhamos não é aquela grande coisa, com certeza há quem goste, mas na mais pura verdade não chega a ser aquele prato apetitoso ou o qual pode ser considerado um manjar. 

Esaú preferiu trocar o seu direito por um simples prato de lentilhas, e olha que ele saiu no prejuízo, se existe negocio mal feito, foi este que Esaú escolheu, entre um guisado de lentilhas que seria algo passageiro e digo que também porque não seria momentâneo, já a primogenitura lhe poderia ser eterna, que passaria de pai para filho, e de em geração a geração, exemplo Abraão, Isaque e... 

Existem coisas na nossa vida que não tem preço, esta é a teoria que paira no ar, todos nós sabemos que a vida é curta e preciosa, e porque então que não a valorizamos, porque então que muitos são ceifados por atos banais, sem valor, sem sentido, porque que as pessoas colocam na frente às coisas insignificantes e as de um valor imensurável elas desprezam.

Exemplo de pessoas que trocaram o prazer da vida pelo prazer do cigarro, do álcool, das drogas, se é que isto proporciona algum prazer, e que diferença isto tem de um prato de lentilhas, de um guisado de aparência saborosa, evidente que existem coisas que não poderemos saber se é bom ou ruim sem ao menos experimenta-los, mas para saber se é bom ou ruim também não significa que temos que experimentar, basta estarmos atentos aos exemplos que vemos todos os dias bem na nossa cara, e como o mau exemplo de Esaú há tantos outros espalhados por ai, o que nos cabe é valorizarmos o privilégio que nos foi concedido.

Quanto custaria aquele prato de guisado de lentilhas, se fossemos pedir um em um restaurante qualquer, claro que poderá haver uma oscilação nos valores, pois depende onde iremos ter o prazer de saboreá-lo, mas vamos supor que seja no restaurante mais caro que conhecemos, o mais suntuoso, o mais moderno, o mais visitado pelas pessoas que aos olhos humanos são famosas e ricas, pensou em algum, chegou a um valor, pois bem, existem coisas que não tem preço, isso mesmo, não tem preço, aquilo que é de propriedade sua, promessa sua, direito seu, pois então não tem preço, sua vida e suas promessas e bênçãos, não tem preço, não troque o certo pelo duvidoso, não troque o eterno pelo temporário, não troque nada que lhe pertence, não desperdice, não ignore, não despreze, pois o prazer pode ser momentâneo, mas a vida ela é eterna...
Postar um comentário