sexta-feira, 5 de abril de 2013

A JUSTIÇA É CEGA E A VIOLÊNCIA NÃO PERDOA...


A violência tem se multiplicado ano após ano, é crescente o índice de violência no mundo inteiro, em alguns países a violência já se tornou um problema incontrolável; Matam, saqueiam, roubam, se rebelam, se utilizam de meios violentos para conseguirem se beneficiar dos mais fracos, se beneficiar não no sentido benéfico, de beneficio, pois praticantes de crimes oriundos não se beneficiam em nada, mas devido ao mau caráter de alguns em querer se aproveitar à custa alheia, principalmente de pessoas honestas e trabalhadoras, pais de família, estes adeptos desta violência covarde, que tem destruído e matado pessoas imerecidamente e inocentemente tem se utilizado destes meios para demonstrar um poder ignorante, medíocre e hipócrita, que, aliás, está longe de chegar ao fim, devido à falta de providências a serem tomadas pela tão afamada justiça.

São incontáveis os meios utilizados pelos diversos tipos de violências que são cometidos contra a humanidade, alguns destes tipos são tão repetitivos que chega até ser difícil de estar comentando, devido às atrocidades praticadas e ao mau exemplo dado por seus praticantes, que mesmo obtendo o mau exemplo de outros, ainda são praticados cada vez mais, em num numero ainda muito maior.

Parece que as pessoas não aprendem com a pratica errada de outros, um exemplo disto é sobre bebida alcoólica e direção, todo mundo sabe que não combina, todo mundo sabe que muitos crimes já foram praticados por pessoas estarem embriagadas ao volante, muitas pessoas já morreram, famílias foram dilaceradas, inclusive pessoas inocentes, muitas pessoas estão vegetando e outras foram interrompidas em seus sonhos e objetivos, dia após dia vemos noticias trágicas no mundo inteiro sobre a tal direção perigosa, mas será que isto importa a alguém?

Será que os simpatizantes do enganoso prazer alcoólico estão interessados em preservar a vida alheia? Ou será que todos pensam como muitos pensam; isto não vai acontecer comigo, pois eu sei beber, eu bebo e não fico embriagado, posso beber o quanto for, comigo não, eu sou diferente dos demais, isto é o que pensam todos aqueles que dizem beber socialmente, e que acham não estarem embriagados, quando na verdade estão sendo enganados pelo teor do álcool, e não conseguem nem para em pé, e se embriaguez traz prazer e satisfação, o que poderíamos falar então de nos alimentarmos do melhor prato, e ainda sendo aquele que é o do nosso gosto, sem precisarmos beber algo para abrir o nosso apetite, sei que muitos preferem se embriagar, em vez de se alimentarem com um bom prato de feijão com arroz, e de quebra um ovo frito.

Evidentemente que acidentes de transito, devido à embriaguez não é o único meio, ou o maior meio causado pela violência, existem outros tantos que poderíamos até comentar, como; guerras frias, ou sujas, ou santas, ou até mesmo pelo poder hipócrita dos governantes para demonstrar e desovar seus armamentos bélicos, demonstrarem seus poderios medíocres e tiranos, guerras entre torcidas organizadas, drogas, intolerância religiosa, pedofilia, crimes contra a humanidade, como; escravidão, prostituição, extorsão, corrupção, etc.,

Na verdade me utilizei desta, porque nestes últimos anos temos presenciado com infelicidade, as noticias sendo repetidas, quase todos os dias nos jornais do nosso país, e até mesmo do mundo inteiro, e mesmo assim ninguém aprende nada, como também não se importam com coisa nenhuma.

A violência não perdoa, e aqueles que a cometem são totalmente covardes, pois tais atrocidades são cometidas de uma forma imperdoável, tirar a vida de uma pessoa basta uma questão de segundos, por mais que as vitimas clamem ou implorem por clemência, muitos destes covardes em frações de segundos apertam o gatilho, para exterminar com uma vida independente de qualquer coisa, inclusive da idade.

Parece que a vida não tem valor algum, até parece que a vida é insignificante, sem sentido e sem propósito, perdeu-se o valor em meio aos tipos desumanos de crimes cometidos, existem crimes que não têm sentido e muito menos nexo, devido ao absurdo do tipo que se é cometido, tamanha é a covardia aplicada pelos criminosos, que covardemente ceifam uma vida como se ela não tivesse valor algum.

A violência não perdoa à raça, a cor, a idade, a posição social, o clero, a condição física, mental ou emocional, a violência não perdoa nada, a violência é covarde e seus praticantes são imperdoáveis, pois se utilizam literalmente dos meios mais banais a serem praticados, não se importando com as feridas que ficarão nos corações dos entes queridos, até o fim de suas vidas, não se importando em que, nunca mais seus familiares verão esta pessoa novamente, independente de que idade ela tenha, muitos são recém-gerados e nascidos, outras, ainda crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos e porque não alguns que dependem de seus familiares em todas as coisas, alguns devido a alguma deficiência que possuem, sejam físicas ou mentais, a violência não perdoa.

Os covardes e violentos matam, roubam, enganam, ferem, deixam marcas irreparáveis, feridas profundas, sem se importarem com nada, nem com a vida dos outros e muito menos com as suas próprias vidas.

Nem mesmo os supostos  REFORMATÓRIOS, que na realidade de todas as verdades não reformam a nada e a ninguém, nem estes inibem tais praticas de violência, cometer um crime, como estupro, pedofilia e homicídio parece ser algo tão normal, tão simples, marcar ou tirar a vida de uma pessoa seja lá quem for, não pesa no sentimento dos praticantes da violência imperdoável, até parece que não existe sentimentos nos corações dos que praticam a violência, não existe compaixão, pois muitos já se acostumaram a retornarem para trás das grades, muitos já se acostumaram a responderem processos e se dizerem inocentes, muitos já se acostumaram, pois sempre ira existir neste mundo alguém que esteja disposto a advogar a seu favor para tentar defende-lo ou inocenta-lo, se não conseguir pelo menos ira lutar para diminuir a sua pena, não que isto esteja errado, advogar a favor de alguém que comete um crime hediondo, o errado é tentar inocentar um criminoso que não confessa o crime praticado por ser sem misericórdia, covarde, mentiroso, violento e imperdoável, mesmo sabendo que é o praticante do delito, o criminoso não confessa, toma o tempo de uma multidão de pessoas que estão voltadas as suas atenções para a sua falsidade e para o seu show de mentiras.

A justiça se torna cega, quando tais indiciados são colocados a júri como pessoas comuns, e não como cúmplices de atos errados, a justiça venda os olhos mediante a tais atos praticados quando não considera o infrator como culpado, mesmo tendo provas de seus delitos, a justiça não pune devidamente a tais atos de covardia desregrada que estes criminosos cometem, não estou aqui para julgar e muito menos para ensinar a justiça a agir da maneira como eu acho que deveria, mas sim para me manifestar, como um cidadão de bem, e manifestar a minha indignação, pois por mais que pareça, prender, julgar ou condenar alguém pelo crime cometido não esta funcionando mais, o que fazer então, Pena Capital seria a solução? Cadeira elétrica? Injeção letal? Acredito que não... 
Construir mais presídios, para acomodar mais infratores? Também acho que não, pois estes estão cientes que se cumprirem apenas um terço de suas penas, por bom comportamento, estarão nas ruas novamente, e o pior, alguns estarão cometendo outros ou senão os mesmos crimes sem hesitarem...

Uma solução simples e prática seria fazer o sistema que já existe funcionar, e funcionar de verdade, pois pelo que temos o conhecimento se gasta milhões todos os anos com presidiários que estão em sistema de internato e não de reformatório, estão fazendo dos presídios uma escola, onde ensinam e estudam meios de praticarem outros crimes, quando na verdade deveriam estar aprendendo a amar a própria vida e ao próximo, reincidentes deveriam ser tratados de outra maneira, mais ríspido e mais rígido, criminosos condenados por crimes perpétuos deveriam ser tratados de formas diferentes, não com mordomias e regalias, mas sim com reeducação e reinserção...

Pois, por mais que a justiça delegue a pena máxima a um criminoso, por mais que a justiça mantenha este criminoso atrás das grades o resto de sua vida, particularmente acho de que nada adianta, se não houver um trabalho social para mudar a consciência, a concepção, as atitudes e o comportamento destes que estão condenados pelos crimes cometidos, de nada adianta, pois muitos, mesmo de dentro dos presídios comandam os crimes nas ruas, e isto é fato e não teoria, e ainda acabam servindo de um mau testemunho para outros criminosos, que acabam até mesmo se espelhando e seguindo o mau exemplo.

Esta é uma das razões do porque acredito que a justiça é cega, ou se não for, pelo menos faz de conta que não vê, pois é inadmissível ouvirmos noticias nos informando das regalias e mordomias de tais criminosos, é inadmissível pagarmos impostos e muitos destes presidiários estarem recebendo auxilio reclusão, ou seja, salários para as suas famílias, com a desculpa de que não tem como trabalharem, por estarem em sistema fechado, gostaria de saber, quem teve esta ideia, é claro que foram os nossos governantes que votaram nesta lei, é claro que esta ideia faz parte da nossa “justiça”, que parece estar a favor do mau e não do bem, a nossa justiça que favorece em muitos casos aqueles que compram a liberdade, que pagam fianças, mas não cumprem penas e muito menos pagam judicialmente os crimes cometidos.

Mas ai vem a minha pergunta, e estes presidiários, estão interessados em trabalhar honestamente ganhando um misero salário, como a maioria ganha? Estão interessados em levantar de madruga, para pegar varias conduções? Comer marmita fria como muitos comem? Estão interessados em andar quilômetros e quilômetros a pé para chegarem ao destino, casa ou trabalho? Estão interessados em suar e somar, ou estão interessados em destruir famílias? E quem ira dar auxilio para as famílias, dos quais estes dilaceraram quando mataram o provedor? Quem ira consolar os filhos que choram? Muitos destes filhos nem chegaram a conhecer os pais, e alguns até ficaram órfãos por culpa de tais criminosos.

Podemos ver que realmente o sistema atual não funciona, pois se estes infratores tem o desejo de obter tais direitos, ou, os iguais aos de todos, pelo menos deveriam respeitar o que lhes é imposto, e, pois se, se encontram em tal situação indesejada e incomoda, com certeza não é de graça que tais situações lhes façam estar cumprindo tais penas, mas sim porque cometeram o que não deveriam ter feito, sem terem misericórdia ou ao menos compaixão por suas vitimas.

Justiça e violência não andam juntas, justiça e violência não são parciais, não são amigas, a justiça tem por finalidade prioritária de ser justa com quem comete algum crime, seja penalizando-o ou condenando-o, e também deve ser justa por quem é inocente, inocentando-o ou absolvendo-o, na violência não existe justiça, nem que alguém ache que vingar-se, faça-se a justiça, o ato feito não poderia ser chamado de justiça, pois justiça seja feita,  se transformar o criminoso em um cidadão de bem, a justiça seria bem feita se conscientizasse os criminosos de seus crimes, a justiça seria correta se fosse justa, e aplicasse a penalização aos infratores de acordo com o ato praticado,e não de acordo com o que acham que foi praticado, poderia ser determinada pelo sim e pelo não, pela transparência e pela verdade, somente a verdade, pois a verdade liberta, a verdade corrige, a verdade transforma, a verdade prevalece, doa a quem doer.

Ouve-se o tempo que, quem com o ferro fere, com o ferro seria ferido, ou, olho por olho e dente por dente, o primeiro é um ditado comum e popular, o que se fala no mundo inteiro, o segundo é uma passagem bíblica da época da lei, tanto um, como o outro nos dá a entender que; O que se fizer, lhe será feito, ou o que se fez, deveria também lhe fazer, isto se refere á aquilo que se faz ferindo, ou até mesmo quando tira-se a vida de alguém, matou terá também que morrer...

Com certeza poderíamos dizer, mas isto não seria pena capital? Pena de morte? Vingança?...

E porque antigamente era assim, e hoje não é mais?

Os tempos mudaram como as leis também mudaram, e as pessoas também mudaram, e como praticamente tudo se mudou as pessoas dos dias atuais não temem a qualquer tipo de punição que lhes é imposta, praticamente a punição de qualquer maneira não põe medo em mais ninguém, seja pena de morte ou prisão perpetua, pois muitos confiam em direitos humanos, que, aliás, defendem somente os criminosos e a mais ninguém, sendo que os direitos deveriam ser de todos.

Quero fazer um adendo sobre “direitos humanos”, pois outro dia estava vendo uma reportagem onde uma classe de pessoas que requeriam os seus direitos, pois se dizem ser injustiçados devido ao tal tão dito preconceito que sofrem, pois se dizem estarem sendo discriminados perante a sociedade.

Direito não é uma via de mão única, onde pode-se pensar que o porquê se quer ter certas liberdades deve-se ou pode ser o principal favorecido, pensar que todo mundo é obrigado a aceitar as condições impostas, porque se não aceitarem, diz-se estar sendo discriminado e perseguido pela condição da qual a pessoa mesmo escolheu, direito não nos dá o direito de queremos escolher algo que possa impor leis sobre as demais pessoas que não consentem com as nossas ideias e atitudes, e por não haver tal consentimento, queremos que todos sejam obrigados a concordar e aceitar, e se não aceitarem serão punidos severamente, porque queremos uma lei que nos favoreça e não para que nos ampare, direitos devem ser seguidos de deveres, eu posso ter o direito ao meu favor se cumprir com o meu dever, se fizer a minha parte, que no mínimo é ser um cidadão de bem, que possa respeitar os outros e suas opiniões, que não esteja querendo impor aquilo que possa me favorecer, mas sim que possa favorecer a todos, que não esteja pensando somente na minha pessoa, mas sim estar pensando nas pessoas, independente de descrição e descriminação, se realmente o que estou fazendo é digno de respeito, de honestidade e de honra, assim posso merecer o devido direito do qual estou requisitando, caso contrario não cumprindo com a simples natureza, estou sendo mais um no meio de tantos que  pensam em si e a mais nada e a ninguém, tornando-se em um déspota disfarçado de cordeiro, querendo simplesmente a justiça própria.

Os criminosos têm os direitos humanos a seu favor e as vitimas tem quem a seu favor? “A JUSTIÇA”? Ou cada um por si e Deus por todos...

Direitos devem ser dados a todos, todos tem o direito de se manifestarem pacificamente, todos têm o direito de ir e vir, todos têm o direito a moradia, a saúde, a alimentação, todos têm o direito a ter o direito, todos têm o direito a viver e desfrutar de uma vida digna, todos tem o direito de cumprir com os seus deveres, agora, pena que a maioria disto, é somente teoria da parte dos nossos governantes mundiais, e não a verdadeira prática da nossa parte, devido a um fato bem simples, nosso egocentrismo e egoismo, que em muitas vezes queremos que esteja somente ao nosso favor, e não a favor dos outros.

Que os nossos erros e o erro dos outros nos ensinem, a sermos mais humanos, mais amigos, mais parceiros, mais tolerantes, que a justiça nos ensine a sermos mais praticantes do bem, que a justiça nos ensine a sermos mais irmãos uns dos outros, que a justiça nos ensine a amar o próximo independente de nossas indiferenças, que a justiça nos ensine a viver com tremor e temor em Deus, porque a violência já nos ensinou a odiar, a roubar, a ferir, a se vingar e a matar o nosso próximo, não podemos vendar nossos olhos, porque se a justiça for cega à violência será imperdoável e com o passar do tempo a violência poderá se tornar indomável...
Postar um comentário