quinta-feira, 27 de junho de 2013

JESUS OU BARRABÁS? OU A MACONHA???


Antes de nos aprofundarmos no assunto vamos discorrer a biografia de quem é Jesus, quem foi Barrabás e o que é a maconha... 
Começando por Barrabás, pois este é a personificação do que está acontecendo atualmente com as manifestações geradas por intermédio desta violência desenfreada, Barrabás era um incitador ao distúrbio popular, gerado por movimentos sediciosos, em que as pessoas são incitadas a depredar, roubar e matar, este assassino, Barrabás facilmente conseguia manipular o povo a estar obedecendo as suas ordens de motim e vandalismo, este foi o motivo pelo qual ele foi preso, e que ocasionou o homicídio de uma pessoa inocente. Lucas 23:19
A maconha, conhecida como cannabis ou marijuana, batizada de baseado (tipo de um cigarro); uma espécie de erva composta por uma substância química e alucinógena chamada de “tetraidrocanabinol” conhecido como THC, que misturada a outras substâncias químicas, causa ao usuário uma sensação de tranqüilidade e bem estar momentâneo, esta segundo alguns usuários declarados é a entrada para outros tipos de drogas mais fortes, visto que a sensação da mesma é passageira e gera sintomas indesejáveis como a chamada larica (uma fome desordenada), que o usuário come, come e come, e fica com a sensação de insatisfação de estar alimentado, mas ao mesmo tempo o seu estomago esta enfastiado, e só após o efeito da mesma passar, é que o usuário irá se dar a conta do que comeu, do quanto comeu e provavelmente não ira se sentir bem, sentira ânsias de vômitos sem contar que também ira sentir sonolência, quando o efeito desta estiver acabando, alguns usuários adeptos de drogas mais fortes dizem que fumam maconha apenas para poder dormir, pois as drogas mais fortes mexem com o sistema nervoso de alguns usuários que ficam dias sem pregarem os olhos, pois as drogas descendem a causar distúrbios no sistema nervoso, fazendo com que o adicto perca o controle total sobre os seus sentidos; a maconha nos dias atuais tem sido aclamada por intermédio de passeatas, chamada de a marcha da maconha, para que haja a sua liberação e assim a erva daninha possa ser usada e negociada livremente.
Jesus Cristo, conhecido como o filho unigênito do Pai (Deus); o salvador, pois deixou ser crucificado para pagar o preço pelos pecados da humanidade, esteve por três anos no meio das multidões que necessitavam de cura, libertação e transformação, na sua época se preocupou em ensinar um Evangelho simples e objetivo, que concedia a todos os que criam uma vida abundante, com condições de vencerem os seus males, seu maior objetivo era levar as pessoas ao arrependimento dos seus maus atos, era fazer com que os infratores reconhecessem seus erros e estivessem dispostos a repararem os danos causados por este ao próximo, Jesus Cristo era contra a injustiça, era contra a tirania, era contra tudo e todas as coisas que prejudicassem a vida de pessoas inocentes, não lutou com armas nas mãos, pois a sua maior arma era a verdade, que transparecia através de sua vida de integridade, onde seus opositores não encontravam motivos para o condenarem; Jesus Cristo se preocupou em deixar nesta terra o seu exemplo de homem de caráter, de alguém que queria servir, dar aos necessitados o que ele realmente tinha, amor, pois não adquiriu riquezas para si, mas fez daqueles que acreditassem em sua mensagem pessoas ricas, ricas no conhecimento da verdade, da honestidade e da humildade, ensinou dando o melhor exemplo de servo dizendo; que melhor é servir do que ser servido, com isto queria dizer; reparta com o teu próximo o que você tem, pois a maior riqueza de uma pessoa esta em ela saber compartilhar as bênçãos que caem sobre a sua vida, preocupando-se em levar outros a desfrutarem destas e maiores bênçãos também. Jesus Cristo não foi simplesmente um homem, mas foi o maior exemplo de homem que o mundo já viu, porque soube respeitar as mulheres, até mesmo aquelas que na sua época eram ignoradas pela sociedade, soube repartir o pão quando viu o seu próximo faminto, se preocupou quando ouviu o clamor daqueles que não enxergavam, sentiu na pele todos os tipos de enfermidades, pois todas tomo-as para si, não ignorou aqueles que queriam tocar-lhe e beijar-lhe, até mesmo o beijo da morte não renegou, mas, aceitou todos os tipos de sofrimentos como o preço que tinha que ser pago, pois aliás, alguém tinha que vencer o mau sobre a vida da humanidade, por esta razão aceitou o desafio de vencer até mesmo a morte, Jesus Cristo foi o nome do maior líder que o mundo já viu, antes dele não ouve alguém semelhante, e nem depois dele haverá, pois ele é o caminho a verdade e a vida.
Meditando sobre esta questão de o que seria melhor para a humanidade, vemos que as escolhas são diversificadas, no caso entre Jesus ou Barrabás, a historia segundo a Bíblia nos mostra que quando Jesus foi levado diante de Pilatos para ser interrogado e então condenado, este o colocou diante da multidão, pois segundo a tradição da época se fazia necessário soltar uma pessoa como num ato de misericórdia devido à festa da Páscoa, estava ali então este criminoso rebelde, arruaceiro e homicida, e também estava Jesus, o povo sendo incitado pelos religiosos da época, em alta voz bradaram pela libertação de Barrabás e a condenação de Jesus Cristo dizendo; crucifica-o, crucifica-o; Lucas 23:21
Qual seria a razão de o povo escolher o mau e não o bem? Qual seria o beneficio do povo em soltar um assassino as ruas novamente e crucificar um homem que não fez mal algum sequer? Isto é muito fácil de responder, pois tudo ira depender de onde estiver o coração das pessoas, ira depender de que lado pende mais as atitudes, se são para o bem ou se é para o mal, depende de como também esta o coração, duro ou quebrantado, depende se as preocupações são pela moralidade pessoal ou pela imoralidade impessoal.
O fato de escolherem a Barrabás que significa a personificação do mal sem piedade e misericórdia pela vida das pessoas, e não a Jesus que significa a piedade, a humildade a mansidão e compaixão pelo próximo, é um fato corriqueiro deste então até os dias atuais, e a pergunta é, sem ter que lavar as mãos, a mesma que Pilatos fez; Barrabás ou Jesus? Há quem diga Barrabás, pois seus atos não passam de perversidades, suas atitudes são emanadas pela maldade de seus corações impenitentes, e as conseqüências, já estas, tais infratores não querem nem saber, pois acham que nunca serão punidos, por esta razão mentem, culpam, acusam e transferem tais atos a outros tentando se isentar do crime cometido; quando não se faz parte desta síndrome, se desculpam com as seguintes palavras, eu não faço mal a ninguém, no caso iremos repetir a pergunta, JESUS OU BARRABÁS? OU A MACONHA?
Há quem diga que prefere a maconha, pois a maconha é uma erva que segundo alguns, nasceu naturalmente, outros dizem que foi Deus quem criou a dita cuja erva daninha, outros dizem que fumam, mas não fazem mal a ninguém, bom enfim poderia estar colocando qualquer outro assunto no lugar da maconha, mas pensando cá com os meus botões a maconha também tem uma personificação maligna, como tantas outras, e pelo fato de ela representar todas as coisas que tomam a consciência humana e deturpam seus pensamentos, sentimentos e atitudes, alterando o estado normal racional a um estado anormal e irracional, impedindo as pessoas de poderem se expressar naturalmente, como também outras más atitudes que não permitem o usuário de desfrutar de uma sã consciência, e assim muitos são levados a cometerem crimes hediondos, e de uma simples erva, assim como o homem e a mulher que antes de pecarem não viam maldade em nada, a simples erva se tornou em uma planta maléfica por causa do pecado cometido por ambos e assim nos diz a Bíblia; maldita é a terra por causa de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida. Espinhos, e cardos também, te produzirão; e comerás a erva do campo. Gênesis 3: 17-18
Trocando em miúdos, por causa do homem a terra se tornou maldita, e produziu aquilo que um dia iria tentar destruir a sua vida de uma forma ou outra, no caso da maconha proporcionando uma satisfação momentânea e enganosa, onde o usuário se torna um viciado inveterado pronto para partir para outros tipos de drogas mais fortes.
Agora mediante a este assunto entre escolher, a Barrabás (personificação do mal), a maconha (personificação do engano) e Jesus a verdade e a vida, existem pessoas que aceitam as duas que prejudicam, não somente as suas vidas como também das pessoas que estão ao seu redor, é impressionante a tendência que o ser humano tem em fazer e praticar o mal, é impressionante como o ser humano se deixa influenciar pelas coisas malignas, e mais impressionante é vermos pessoas que conhecem a verdade se entregando a tais fatos sem ao menos medirem a condição que um dia lhes foram oferecidas por Cristo mediante o sacrifício realizado na cruz.

Se fizéssemos esta mesma pergunta nos dias de hoje, com certeza não iríamos nos surpreender em vermos que pessoas bradariam e crucificariam a Cristo novamente, iríamos sim nos deparar com pessoas tomadas de tais atitudes peçonhentas, não se importando com o seu caráter pessoal e muito menos com o seu próximo, pois bem, e aliás, temos visto isto nitidamente mediante aqueles que se infiltram no meio dos que representam o bem e lutam pela causa conjunta da humanidade e não pessoal, estes sorrateiramente se aproveitam como ratos para poder depredar e saquear aqueles que com o suor do rosto construíram algo para uma vida melhor, vemos a maldade na vida humana de uma maneira despreocupada, onde ninguém não esta nem ai com nada, muito menos com o sentimento paterno e materno das pessoas, pois ceifam a família como se estivessem ceifando a erva no campo, se hoje fizéssemos esta pergunta não iríamos nos surpreender se ouvíssemos soltem Barrabás e viva a maconha, como também não nos surpreenderemos se vermos os tomados pela síndrome de Barrabás, quebrando roubando, matando e fumando a dita tal cuja da maconha...  
Postar um comentário