terça-feira, 15 de julho de 2014

ATÉ QUE A FALTA AO DINHEIRO NOS SEPARE...


Duas coisas distintas dinheiro e casamento, há um ditado popular que diz que quem casa não pensa e quem pensa não casa, sem o dinheiro ninguém se casa e também ninguém se casa por dinheiro, claro que isto é uma sátira e jamais uma verdade.
O casamento matrimonial, união entre homem e mulher é uma dádiva divina, ambos foram criados para se completarem entre si, o homem foi criado por causa da mulher e a mulher por causa do homem, nisto não há perfeição, ou seja, o homem perfeito ou a mulher perfeita, o que tem que existir é a compreensão de ambos, para que o casamento perdure, caso o contrario, querer exigir perfeição de ambos os lados é uma grande perca de tempo, como também cobrar aquilo que na realidade não se faz, querer que um lado ceda e o outro fique intocável nada mais é que um estereotipo de egoísmo burro.
Em uma pesquisa realizada sobre divorcio, o maior índice de separação dos casais se deu a vida financeira, devido às dificuldades que ambos começaram a passar juntos, aquele amor que até então, era até que a morte os separe, se deu até que a falta ao dinheiro os separe, evidentemente que teremos que descontar o fato de vagabundagem do homem em não querer trabalhar, ou até mesmo querer ser sustentado pela mulher achando que ela é sua mãe ou senão ele um gigolô, e quanto a mulher, que também exige do homem, querendo que o homem faça o papel de Pai gastando com os seus mimos, se endividando por causa de uma luxuria fútil.
Mas o alto índice de dividas que ambos adquiriram durante o casamento, onde muitos se desfizeram de seus bens materiais, ou senão viveram como ciganos mudando de um lugar para o outro, pagando alugueis aqui e ali, desgastou o relacionamento que era travado por brigas e discussões, onde a culpa era somente de um e não do outro, segundo a consciência daquele que se achava sempre ser o certo, e nas discussões desenterravam problemas do passado, abrindo o baú da infelicidade, jogando-os um na cara do outro a meã culpa, esta atitude sufocou o até “então amor forever” e aquilo que parecia ser já não era mais, muitos casais acharam por melhor se separar, procurar um novo parceiro ou parceira que obedecessem ao currículo matrimonial.
Corresponder ao relacionamento matrimonial não é somente obrigação de um, ou de outro, e sim de ambos, por isso que o casamento é um complemento tanto na vida do homem quanto da mulher e vise-versa, querer exigir a felicidade única, ou ser o centro das atenções, querer comandar com machismo ou feminismo é subjugar a natureza da criação, não digo estar errado muitas vezes a mulher ter que fazer o papel do homem e o homem da mulher em algumas responsabilidades, desde que haja a falta do personagem em tal responsabilidade, mas agora o tendo e ter que tomar as rédeas por motivo, seja de que este ou esta não faz ou não quer fazer, ou se achou que se fez, o fez muito mal feito, cabe a cada um saber que todos somos responsáveis por nossas atitudes estando elas certas ou erradas, se forem certas, receberemos o mérito e a honra, mas se forem erradas a vergonha e o desprezo.
Isto também não significa que sempre faremos o certo, por natureza humana estamos mais propensos a fazer sempre o errado, principalmente quando queremos fazer do nosso jeito, ou do jeito onde sempre damos o tal jeitinho, mais conhecido como gambiarra, empurrando com a barriga, deste modo não tem o que de certo, porque até mesmo o certo estará sujeito a dar errado, então cabe a cada um procurar compreender o outro, pois o tempo e os anos de relacionamento geram experiências, e as experiências geram crescimento, e o crescimento o amadurecimento, e se estivermos voltados com os nossos olhos para a esperança e não para a desconfiança com certeza o matrimonio só tende a permanecer inabalável, podem vir as tempestades que estaremos fundamentados um no outro, pois se um cair (esmorecer) o outro levanta, mas, isto tudo depende de ambos os dois e se realmente estiverem dispostos a batalharem juntos, pois um só com certeza sempre será ferido e carregar o fardo solitariamente é desgastante, esta é a razão de serem dois em um só, pois se forem cada um por si, não terá relacionamento que possa permanecer sem serem os dois destruídos.
A causa da falta do dinheiro, ou as dificuldades financeiras fazem parte da vida das pessoas, todos estão sujeitos a passar por certas dificuldades, nem mesmo a pessoa mais rica ou milionária esta isenta de um dia experimentar as dificuldades que o dinheiro pode causar, tendo-o ou não o tendo, porque na verdade o dinheiro nunca sobra, mas geralmente falta e infelizmente neste mundo faz muita falta, porque as pessoas fizeram com que tudo girasse em torno dele, despertando a ganância, muitos fazem tudo por causa dele, compram e se vendem, e praticamente sobre todas as coisas ou tudo esta agregado ao dinheiro, até mesmo a “felicidade” dos casais, onde muitos desfrutam de alegria quando o têm, e de discórdia quando não o têm.
Já ouvi um dizer que o dinheiro pode comprar tudo, acredito ser verdade, porque se ele consegue comprar uma pessoa, sem distinção de qualquer coisa, raça ou cor, ele então consegue comprar tudo, pois este mundo onde vivemos que foi criado exclusivamente para nós, por nossa causa, foi nos dado gratuitamente para moradia terrena e física, nossa responsabilidade esta acima de adquirir bens materiais, não que não possamos, mas uma das nossas tarefas é o de repartir, porque alguns têm mais capacidade do que outros, a lei do mais forte é ajudar o mais fraco, se não fosse o egoísmo ganancioso do coração humano com certeza viveríamos num mundo muito melhor, que também não é diferente de um bom casamento, se ambos estiverem dispostos a passar todas as coisas juntos, seja na alegria ou na tristeza, na fartura ou abundância, na saúde ou na doença, ou qualquer outra coisa adversa, pois, não há nada nesta vida que não tenha como se concertar ou suportar, desde que acima de todas as coisas esteja o verdadeiro amor, pois este tudo sofre, tudo crê, tudo espera, suporta e jamais acaba...
Postar um comentário