segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

OS LEÕES NA COVA DE DANIEL...


Evidentemente que a frase da qual temos como titulo é ao inverso, “Daniel na cova dos leões”, pelo menos é isto o que nos fala o texto bíblico do livro de Daniel.

Então o rei deu ordem, e trouxeram Daniel, e o lançaram “na cova dos leões”... Daniel 6:16a

Podemos verificar que o texto esta no plural, isto então significa que na cova não havia apenas um leão, e sim mais de um, ou quem sabe vários leões.

Mas o que pretendo comentar em relação ao texto, e que, a própria historia nos narra na bíblia é que; possamos ver as dificuldades da vida de uma maneira diferente, porque vermos do modo geral, ou do modo em que a maioria das pessoas vêem, e isto já é de praxe, pois, a maioria senão a maior parte das pessoas nunca conseguem ver a solução e sim somente o problema, precisamos entender que se o problema for colocado acima da solução, nunca iremos ter animo para achá-la, se já temos o problema o que precisamos é da solução para solucionar o problema, a parte mais difícil já temos que é o problema, e a situação pode piorar se não procurarmos uma solução, fugir ou se esconder do problema não é a melhor coisa a ser feita, se esquivar ou querer se isentar não irá nos ajudar em nada, fazer vistas grossas não nos ajudará em nada, precisamos entender que encarar o problema de cabeça erguida nos dará a condição de podermos demonstrar a ele, ao senhor problema, que não estamos fugindo, mas que iremos encará-lo a altura, pois o problema jamais poderá ser maior que a nossa vontade de solucioná-lo.

A questão de Daniel era que; ele não procurou um problema, mas este lhe apareceu repentinamente e involuntariamente, foi proporcionado pela inveja de outros, foi uma situação provocada, não por Daniel, mas por aqueles que se sentiram ameaçados pela sua honestidade e sinceridade, a integridade da vida de Daniel incomodava os impostores, estes, por não quererem viver uma vida de transparência, quando se depararam com alguém que era justo se sentiram ameaçados, e é bem desta forma mesmo, os justos incomodam os injustos, os íntegros e retos ameaçam os mal feitores, neste mundo há infelizmente vários tipos de pessoas, aqueles que preferem o bem tem que conviver com quem prefere o mal, e ainda irá viver se sentindo ameaçado todos os dias por suas delinquências.

Mas vamos voltar aos leões e Daniel, vejamos esta situação; naquela cova havia leões ferozes e famintos, aquela cova evidentemente era a dos leões, era praticamente o seu habitat, era onde estes leões foram colocados com um propósito, que seria o de devorar todos aqueles que se opunham contra o reino, estes leões estavam acostumados a devorar seres humanos, e por estarem famintos então, estes seriam o seu prato, não talvez o predileto, mas o principal, esta poderia ser a única refeição que recebiam quem sabe há dias, pois, eram preparados para tal situação.

Todos sabem que quando um ser vivo esta em seu território, este fará de tudo para defender aquilo que até então lhe pertence, no caso dos leões, qualquer intruso estaria sujeito a ser despedaçado, qualquer um que até mesmo por acidente caísse em seu território, correria um serio risco de servir de refeição a estes leões famintos e perigosos.

Bom, como podemos ver a cova dos leões não era uma brincadeira de criança, só que também a vida de Daniel não era um faz de conta, Daniel corria um serio risco de vida, mas também os leões corriam um serio risco de ficarem com fome, de poderem ver um delicioso cordeiro temperado e assado, mas de não poderem tocar, poderiam estar até com água na boca e mais nada, como diz o ditado ver com os olhos e lamber com a testa.

Se enxergarmos o problema do ponto de vista em que todo mundo enxerga, ou seja, o lado ruim, com certeza não iremos encontrar solução nenhuma, como também se formos buscar ajuda em quem não poderá acrescentar nada em nossas vidas, falar com alguém sem ímpeto e virtude é lançar fora a oportunidade que temos de vencer e triunfar sobre qualquer coisa, algumas pessoas tem o mau habito de em tudo antes de ver a solução, ver somente o problema, ou colocar problemas em tudo, muitos por preguiça psicológica de colocar a mente para funcionar se acomodam em não tentar, preferem deixar o problema antes do que mexer com ele, preferem fazer de conta que ele não é um problema assim tão prejudicial, e acabam empurrando com a barriga.

Se Deus nos deu o domínio sobre todas as coisas desde a criação, porque somos dominados pela criação, porque em vez de exercermos a nossa autoridade, demonstramos medo, no caso de Daniel “lançado” na cova, não vejo a bíblia narrando que Daniel quando preso por seus acusadores, seguiu o caminho do martírio aos berros, não encontrei em nenhum dos versículos Daniel murmurando, resmungando ou questionando o que estava prestes a lhe acontecer, não vi Daniel justificando a sua integridade como meio de se livrar da punição imposta, embora fosse inocente e justo diante de Deus e dos homens, Daniel foi; não posso afirmar que quem sabe não tivesse tremor em meio a tal situação, até porque isto é impossível humanamente, impossível não sentir medo, ainda mais vendo aqueles brutamontes nos olhando, mas acredito que antes mesmo de Daniel ser lançado já havia uma palavra de livramento sobre a sua vida, pois o próprio rei já o havia declarado; E, falando o rei, disse a Daniel: O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te “livrará”... Daniel 6:16b

Assim como vemos o problema devemos acreditar que também poderemos ver a solução, muitas coisas dependem do exercício da nossa autoridade, não estou falando de ser um ditador, e sim o de ser uma pessoa de posição, de determinação e de visão, pois, de nada adianta fugirmos ou procrastinarmos os problemas, querer adiar ou jogar para frente não ira nos ajudar em nada, porque enquanto não eliminar-nos o problema, sempre ele será um problema, e ainda corremos o risco deste problema se tornar em um problemão, não existe nada neste mundo que não tenha uma solução, não existe o insolucionável, não existe nada nesta vida que não tenha uma solução, por menor que pareça, ela existe e muitas vezes é diante das grandes coisas que as pequenas se sobressaem.

Daniel estava fadado à cova, mas o próprio rei que tinha uma grande estima por Daniel, o rei que havia sido conquistado pelo coração generoso de Daniel, este mesmo sendo nobre, sendo respeitado e com autoridade suprema profetizou sobre a sua vida dizendo; O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará, disse o nobre rei; o teu Deus te livrará, o próprio rei demonstrou que Daniel já havia conquistado o seu coração, pois, foram inúmeras as vezes que tentou livrá-lo, mas como infelizmente ele havia assinado o decreto, restava agora confiar no Deus de Daniel, e também fazer a sua parte, com o seu anel o rei selou a tampa da cova para que se porventura Daniel não fosse devorado pelos leões, nada pudesse lhe acontecer além daquilo que lhe havia sido imposto no tocante do interdito, com isto o rei demonstrava o seu cuidado e a sua lealdade ao seu amigo.

Agora duas coisas eu observo nesta historia, claro além de tantas que poderíamos observar, os leões estavam em maus lençóis como diz o ditado, pois além de Daniel ser servo do criador de todas as coisas era um amigo intimo do rei, mas, agora vamos imaginar, lá na cova estavam os leões, famintos, a espera daquela tampa se abrir e algum infrator ser lançado para que estes pudessem se alimentar, e de repente começa um ruído, uma fresta de luz aparece, oba, diziam os leões que já estavam aglomerados em baixo na tampa, a espera da presa cair no chão para que então pudessem destroçá-la, andando impacientes rodeavam a boca da cova, e de um súbito só, alguém desce caindo, não sei se foi de pé, de lado, de costas, mas o que sei, que esta foi a queda mais glamorosa que eu já vi, de dar inveja a própria Xuxa, e quem vem então? Não em um disco voador de mentirinha, mas sim num resplendor de gloria, Daniel, os leões se olham, e num momento ficam paralisados, sem saber o que fazer é claro, pois como já dissemos, estes estavam numa fria, se tocassem no ungido do Senhor morreriam, se tocassem no amigo do rei, também morreriam, então fico imaginando como se fosse num desenho animado, os leões com o estomago roncando como se estivesse outro leão dentro, putz, tinha que ser este cara, não poderia ter sido uma outra pessoa, tinha que ser este tal de Daniel, que na mais pura verdade desbancou a fama dos leões ferozes para gatinhos mimados, não havia nada mais vergonhoso neste momento do que ter que enfiar o rabo entre as pernas, baixar as orelhas e sair de mansinho, e era assim que os ferozes leões ficaram, pois agora tinham um problema na cova, e a cova não era mais dos leões e sim de Daniel, agora quem estava na cova era os leões com Daniel, e este jovem tinha costumes que para alguns é bem difícil de aceitar, como; orar, adorar, profetizar, decretar, meditar, os leões teriam que ouvir a pregação e a mensagem de Daniel mesmo não querendo, teriam que ficar num canto enquanto Daniel andava pela cova toda, os leões teriam que ficar se esquivando de Daniel, pois se este fosse para ali, teriam que ir para acolá, os leões iriam ficar fugindo de Daniel, tinham quem sabe uma única opção aceitar ou aceitar, Daniel de uma lado para o outro cantava, dançava e falava sozinho, os leões o observavam de longe e diziam uns para os outros, este cara é biruta, claro que esta interpretação é imaginação da minha cabeça, porque pelo que me parece a historia foi outra, e Daniel mesmo narra quando o rei pela manhã vai a boca da cova a chamar pelo seu nome, quando então Daniel responde; O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, e eles não me fizeram mal algum... Daniel 6:22ª

O que aconteceu então? Os leões queriam devorar a Daniel, mas Deus enviou um anjo que fechou a boca dos leões, como foi à cena eu não sei, mas, imagino o anjo segurando a boca dos leões, ou os amordaçou ou ficou na frente destes com o indicador entre os lábios, dizendo; psiuuuuuuuuuu... 

Como foi eu não sei, mas que os leões ficaram pianinhos isto não tenho duvidas.

Agora vamos analisar a historia; quem corria mais risco Daniel ou os leões? 

Humanamente falando com certeza seria Daniel, só que esta historia não tem como cunho principal ser o lado humano, e sim o espiritual, pois vemos deste o inicio onde as coisas aconteceram por causa do espiritual, Daniel foi lançado a cova por ser espiritual, os leões não mataram a Daniel por causa do espiritual, Deus é espiritual, e somente no mundo espiritual é que as coisas se transformam, como no caso do rei que posteriormente ordena que todos se rendam ao Deus de Daniel; Então o rei Dario escreveu a todos os povos, nações e línguas que moram em toda a terra: Paz vos seja multiplicada. Com isto faço um decreto, pelo qual em todo o domínio do meu reino os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel; porque ele é o Deus vivo, e permanece para sempre; e o seu reino nunca será destruído; o seu domínio durará até o fim. Ele livra e salva, e opera sinais e maravilhas no céu e na terra; foi ele quem livrou Daniel do poder dos leões. Este Daniel, pois, prosperou no reinado de Dario, e no reinado de Ciro, o persa. Daniel 6:25-28

Esta historia nos mostra o quanto vale a pena temer e tremer ao Deus todo-poderoso, pois somente ele pode nos livrar de qualquer situação, somente Deus tem o cuidado com as nossas vidas, Deus é o nosso socorro bem presente, ele pode nos colocar como cabeça e nos tirar da calda, nos fazer estar por cima e não por baixo, Deus vela por todos sem acepção nenhuma, ele é a favor dos justos, mas os iníquos pereceram.

Alguém poderia dizer que os leões não devoraram a Daniel porque não estavam com fome, mas não é bem isso que nos diz a bíblia, pois, após não terem achado delito algum em Daniel; o rei deu ordem, e foram trazidos aqueles homens que tinham acusado Daniel, e foram lançados na cova dos leões, eles, seus filhos e suas mulheres; e ainda não tinham chegado ao fundo da cova quando os leões se apoderaram deles, e lhes esmigalharam todos os ossos. Daniel 6:24

Podemos ver então a diferença que existe em quem serve e quem não serve a Deus, a diferença de quem quer fazer sempre o bem e quem quer fazer o mal, de quem esta disposto em levar uma vida de integridade, pois, com certeza, o que podemos aprender com esta historia é que a pessoa independe do lugar e não o lugar da pessoa, assim como também a autoridade, porque alguns a têm e outros a exercem,  superioridade não pode estar no problema e sim de quem esta com o problema, pois, se existe a cova e os leões, também deve de existir alguém que a possa superar, e esta pessoa precisa exercer a sua autoridade, não somente com palavras, mas preferencialmente com atitudes, pois caso o contrario não somente ela pode perecer, mas também todos aqueles que estão bem próxima a sua pessoa., fazer o bem, aproxima Deus de nós, fazer o mau nos afasta dos favores de Deus, por mais que sejamos lançados na cova, por mais que os leões sejam ferozes e estejam famintos, por mais que o problema pareça ser intransponível, tudo irá depender da nossa posição, tudo irá depender do nosso preparo, tudo irá depender da nossa determinação, não nos esquecendo que devemos de confiar somente em Deus, pois, somente ele pode nos livrar, não da cova, mas com certeza irá nos livrar dos leões...
Postar um comentário